Insegurança

Publicada no Jornal Zero Hora em 15/06/2017

De noite as cidades
disfarçam defeitos,
usam roupa de festa.

Porto Alegre,

eu assisto as tuas luzes
em um trem sem portas.

A saudade das tuas ruas

vem a trote:
um cavalo arredio
sobe e desce lombas,
quebra meus ossos.

Ontem mesmo
eu caminhava com sacolas
em teus redutos,
não tinha medo
dos teus viadutos.

Hoje adormeço
a vontade de percorrer-te.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s